Tabagismo na gravidez

Revisão das 09h22min de 25 de outubro de 2021 por Paulo Santos (Discussão | contribs)

(dif) ← Revisão anterior | Revisão atual (dif) | Revisão seguinte → (dif)

Autor: Catarina Calheno Rebelo, João Nunes Sousa, Leonor Luz Duarte, Maria Francisca Amorim, Maria Inês Ferreira

Última atualização: 2021/10/25

Palavras-chave: Tabagismo, gravidez, cessação tabágica, saúde infantil/bebé



Resumo


O tabaco e o fumo do tabaco podem causar inúmeros danos no desenvolvimento e na vida do seu bebé e em si. Por isso, deixar de fumar é uma das mais importantes decisões que pode tomar e uma das melhores formas de proporcionar um início de vida saudável ao seu filho!
É, sem dúvida, um processo desafiante para qualquer grávida e, por isso, pode procurar ajuda e acompanhamento junto de profissionais de saúde, a qualquer momento, para que o consiga fazer da forma mais adequada.
Nunca é tarde demais para parar de fumar e dar uma oportunidade a um futuro mais saudável a si e ao seu filho!




O tabaco na gravidez


Fumar antes, durante e após a gravidez é prejudicial para a grávida e para o bebé.
Apesar da maioria das mulheres fumadoras que engravidam pretendem deixar de fumar, nem sempre é fácil que aconteça. Algumas das razões que tornam o processo de deixar de fumar mais difícil são:

  • A maioria das fumadoras está dependente fisiologicamente de nicotina, apresentando sintomas de abstinência marcados quando param de fumar;
  • As grávidas apresentam, igualmente, dependência psicológica – a nicotina ajuda a grávida, em alguns casos, a sentir-se menos ansiosa;
  • Fumar está frequentemente associado às rotinas diárias da mulher;
  • Por vezes, a grávida e o futuro pai estão a atravessar um período mais difícil da sua vida, quer a nível psicológico, familiar ou social, pelo que a cessação tabágica se torna um processo ainda mais difícil.



Consequências do tabaco na gravidez


Gravidez heart.jpg

O consumo de tabaco está associado a diminuição da fertilidade com maior dificuldade em engravidar.
Cada cigarro fumado contém cerca de 7000 substâncias químicas diferentes, muitas delas com consequências para a grávida e para o bebé, diminuindo o aporte de oxigénio.

Potenciais riscos do consumo do tabaco para a grávida:
  • Aborto espontâneo
  • Gravidez ectópica (gravidez fora do útero, que não evolui e tem risco de complicações potencialmente graves)
  • Aumento do risco de parto pré-termo
  • Descolamento da placenta


Potenciais consequências negativas para o bebé:
  • Malformações congénitas em múltiplos órgãos, como por exemplo fissuras orofaciais (fenda do palato e lábio leporino)
  • Morte fetal
  • Atraso de crescimento intra-uterino
  • Síndrome de morte súbita do lactente
  • Infeções do trato respiratório superior e inferior
  • Redução da função pulmonar no recém-nascido e na criança
  • Maior probabilidade de desenvolver asma e agravamento das crises de asma
  • Efeitos adversos a nível do desenvolvimento neurológico fetal


Benefícios de deixar de fumar


Deixar de fumar é benéfico em qualquer momento da gravidez, tanto para a grávida como para o bebé, e quanto mais cedo melhor:

Para a grávida
  • Vai ter mais energia e respirar mais facilmente;
  • Vai ter menor risco de desenvolver doenças cardíacas, acidente vascular cerebral, cancro do pulmão, doença pulmonar obstrutiva crónica e outras doenças relacionadas com o tabaco;
  • Vai ter mais dinheiro para gastar em outras coisas de que gosta ou que necessite;
  • A sua roupa, o seu cabelo e a sua casa vão cheirar melhor;
  • A comida vai saber melhor;
  • Vai sentir-se bem com o esforço que fez, por si e pelo seu bebé.


Para o bebé
  • Após um dia sem fumar, o seu bebé vai receber mais oxigénio e nutrientes necessários para se desenvolver;
  • O bebé irá crescer melhor;
  • Há menor risco de o seu bebé nascer antes do tempo;
  • Há menor risco de complicações durante ou depois do parto, muitas vezes com necessidade de internamento dos bebés;
  • O seu bebé terá menor probabilidade de vir a sofrer de bronquite e asma.


Tabagismo passivo


A grávida deve evitar a exposição ao fumo tabaco. Além de ser prejudicial à sua própria saúde, o tabagismo passivo parece contribuir para os efeitos negativos no desenvolvimento intrauterino do bebé e na sua vida futura. Assim, tente afastar-se das pessoas que estiverem a fumar ou peça mesmo que não o façam na sua presença.

Tabaco e amamentação


O tabaco não deve impedir a mulher de amamentar. O aleitamento materno traz inúmeros benefícios para o bebé, pelo que deve ser mantido, mesmo que a mãe seja fumadora. Contudo, fumar durante o período da amamentação expõe o bebé à nicotina e a outras substâncias tóxicas que chegam ao bebé através do leite materno.

  • Evite fumar imediatamente antes de amamentar – nunca fumar pelo menos 1 a 2 horas antes de o bebé mamar. O corpo terá mais tempo para expelir os compostos tóxicos;
  • Não fume dentro de casa, à janela ou no carro;
  • Utilize um “casaco para fumar”, que retira quando pega ou cuida do bebé;
  • Não fume enquanto está a amamentar.


E se reduzir o número de cigarros?


Reduzir o número de cigarros pode ser o primeiro passo para deixar de fumar. Contudo, de acordo com o que se sabe atualmente, qualquer mínimo consumo pode prejudicar o seu bebé. O ideal é deixar de fumar por completo.

Posso fumar cigarros eletrónicos/outro tipo de dispositivos?


Não são conhecidas as consequências do uso destes novos produtos em mulheres grávidas ou a amamentar, nem os seus efeitos na saúde a longo prazo. Cada vez mais são descritos efeito nocivos para a saúde. A sua utilização durante a gravidez ou amamentação não é recomendada, nem em substituição dos cigarros.

Como posso deixar de fumar?


Encare a sua gravidez como uma oportunidade de adaptação e aprendizagem. Muitas coisas vão mudar e o consumo de tabaco deverá ser uma delas. Os profissionais de saúde são parceiros valiosos neste processo e estarão disponíveis para a ajudar e aconselhar.

  • Informe-se acerca dos riscos e malefícios provocados pelo consumo de tabaco. Questione o seu médico, solicite folhetos informativos e procure informação fidedigna na internet.
  • Perceba o quão motivada está para parar de fumar. Pergunte a si mesma, numa escala de 0 a 10, quão importante para si e para o seu bebé seria deixar de fumar. Analise as suas respostas. Uma nota alta é motivador para deixar de fumar de vez.
  • Ainda numa escala de 0 a 10, pergunte-se o quão capaz e preparada está para deixar de fumar. Uma nota baixa significa que precisa de mais ajuda para ultrapassar os obstáculos e conseguir deixar de fumar.
  • O seu médico pode ajudar a encontrar soluções adequadas ao seu caso.
  • Se se sentir motivada para deixar de fumar, marque um dia (dia D), que será o primeiro dia sem cigarros! Como preparação para este dia, procure elaborar um registo diário (a um dia de semana e num dia de fim de semana) de todos os cigarros que fuma, identificando a hora, o porquê e circunstância: quando toma café, após as refeições, com amigos... De todos estes cigarros, procure perceber quais os que lhe dão mais satisfação e prazer, pois estes serão os mais difíceis, mas não impossíveis, de abandonar.
  • No dia anterior ao dia D areje a sua casa e retire todos os maços, isqueiros e cinzeiros do carro e de casa.
  • Peça aos amigos e familiares que não fumem próximo de si, tentando quebrar hábitos e rotinas associados ao tabaco.
  • Evite frequentar locais onde se fume.


Posso tomar medicação para me ajudar a deixar de fumar se estiver grávida?


Não há nenhuma medicação para ajudar a deixar de fumar que seja recomendada durante a gravidez ou amamentação.
A maioria das opções terapêuticas aprovadas para a cessação tabágica foram pouco estudadas na gravidez. Não se sabe muito sobre a sua eficácia e, principalmente, sobre a sua segurança para o feto. Qualquer intervenção farmacológica deve sempre ser orientada e supervisionada por um médico.

Como posso evitar fumar quando sinto muita vontade de o fazer?


Deve estar preparada para antecipar as situações em que lhe vai surgir uma vontade muito grande de fumar, chamadas de cravings. Quando isto acontecer:

  • Lembre-se que este forte desejo dura apenas alguns minutos;
  • Pense novamente no bem que está a fazer a si e ao seu bebé em não fumar;
  • Repita frases encorajadoras para si própria: “Eu vou conseguir resistir”, “Vou fazer isto por mim e pelo meu bebé”, “Está-me a apetecer fumar, vou fazer outra coisa”;
  • Distraia a mente com pensamentos positivos;
  • Respire fundo durante 20 segundos e concentre-se na sua respiração;
  • Beba um copo de água;
  • Mude a tarefa que está a fazer ou opte por dar um pequeno passeio;
  • Ligue a alguém que a encoraje a continuar sem fumar. Ex-fumadores podem ser um grande auxílio pois compreendem a sua situação e poderão partilhar dicas que os ajudaram a ultrapassar os vários obstáculos deste processo.


Deixar de fumar engorda?


Aumentar de peso durante a gravidez é normal e expectável. O aumento de peso aquando da cessação tabágica está principalmente associado à substituição do consumo de tabaco pelo aumento da ingestão de alimentos. Há várias estratégias que pode adotar para evitar que isto aconteça:

  • Mantenha-se ativa fisicamente, já que contribui para a sua saúde física e emocional, para além de ajudar a uma melhor recuperação da forma física no pós-parto. As caminhadas em locais seguros são uma excelente opção.
  • Evite alimentos ricos em gordura, sal e açúcar, como por exemplo bolachas, massas folhadas, bolos, gelados, alimentos fritos, molhos e queijos ricos em gordura.
  • Escolha alimentos pobres em calorias, como pequenos frutos ou legumes, descascados ou muito bem lavados, que possam ser comidos de vez em quando para saciar a fome (por exemplo: tomate cherry, cerejas, bagos de uva, pedaços de cenoura, “cubos” de melancia ou de melão, gomos de laranja, um pouco de pão, ou uma bolacha maria).
  • Beba muita água.


Tentei parar de fumar, mas não resisti e voltei a fumar


Cada tentativa é uma aprendizagem e uma oportunidade para deixar de fumar. A maioria das pessoas tenta várias vezes até ter sucesso. Não desista, aprenda com os erros e prepare-se para uma nova tentativa, procurando repetir as estratégias que resultaram e reforçar os pontos positivos. Relembre-se dos motivos que a levaram a querer deixar de fumar, do que não correu bem e porquê e das vantagens que lhe vai trazer.

Conclusão


Parar de fumar durante a gravidez é um processo complexo, que envolve a superação de muitos desafios. Os profissionais de saúde estão disponíveis para a ajudar, em qualquer altura da gravidez. Nunca é tarde demais para deixar de fumar e proporcionar um futuro mais saudável a si e ao seu filho.

Referências recomendadas



Alt text Alt text Alt text Alt text Alt text




Banner.jpg