Diferenças entre edições de "Sarampo"

Linha 55: Linha 55:
 
* [http://ecdc.europa.eu/en/healthtopics/measles/factsheets/Pages/factsheet-general-public.aspx European Centre for Disease Prevention and Control (ECDC) – Measles]
 
* [http://ecdc.europa.eu/en/healthtopics/measles/factsheets/Pages/factsheet-general-public.aspx European Centre for Disease Prevention and Control (ECDC) – Measles]
 
* [http://www.dgs.pt/?cr=24097 Direção Geral da Saúde - Programa Nacional de Eliminação do Sarampo]
 
* [http://www.dgs.pt/?cr=24097 Direção Geral da Saúde - Programa Nacional de Eliminação do Sarampo]
 +
  
  
Linha 60: Linha 61:
 
|-
 
|-
 
! style="background: #efefef;" | <div style="float:left; font-size:x-large" class="small-12 medium-1 columns">[http://metis.med.up.pt '''Voltar à página inicial''']</div>
 
! style="background: #efefef;" | <div style="float:left; font-size:x-large" class="small-12 medium-1 columns">[http://metis.med.up.pt '''Voltar à página inicial''']</div>
! style="background: #efefef;" | <div style="float:right; font-size:x-large" class="small-9 medium-1 columns">[http://metis.med.up.pt/index.php/Mensagens '''Tem alguma dúvida? Fale connosco''']</div>
+
! style="background: #efefef;" | <div style="float:right; font-size:x-large" class="small-12 medium-1 columns">[http://metis.med.up.pt/index.php/Mensagens '''Tem alguma dúvida? Fale connosco''']</div>
 
! style="background: #efefef;" |[[file:Fb metis.png|30px|link=http://www.facebook.com/sharer/sharer.php?u=http://metis.med.up.pt/index.php/Sarampo|alt=Alt text|Partilha no facebook]]
 
! style="background: #efefef;" |[[file:Fb metis.png|30px|link=http://www.facebook.com/sharer/sharer.php?u=http://metis.med.up.pt/index.php/Sarampo|alt=Alt text|Partilha no facebook]]
 +
! style="background: #efefef;" |[[file:Google_plus.png|30px|link=https://plus.google.com/share?url=http://metis.med.up.pt/index.php/Sarampo|alt=Alt text|Partilha no google +]]
 +
! style="background: #efefef;" |[[file:TWT_METIS.png|30px|link=https://twitter.com/intent/tweet?text=Metis&url=http://metis.med.up.pt/index.php/Sarampo|alt=Alt text|Partilha no twitter]]
 +
! style="background: #efefef;" |[[file:In_metis.png|30px|link=http://www.linkedin.com/cws/share?isFramed=false&url=http://metis.med.up.pt/index.php/Sarampo|alt=Alt text|Partilha no LinkedIn]]
 +
! style="background: #efefef;"|[[file:PRINT_METIS.jpg|30px|link=http://metis.med.up.pt/index.php?title=Especial:Exportar_em_PDF&page=Sarampo|alt=Alt text|Imprimir como pdf]]
 
|}
 
|}
 +
 +
 +
 +
<br>
 +
<div style="text-align: center; margin: auto; font-size: 90%; margin-top: -18px; margin-bottom: -20px;">
 +
[[Utilizador:Raquel_Souto|Raquel Souto]] &bull; [[Utilizador:Carla_Morna|Carla Morna]]
 +
</div>
 +
<br>
  
  

Revisão das 10h23min de 10 de janeiro de 2019

Autor: Raquel Souto, Carla Morna

Última atualização: 2016/03/07

Palavras-chave: Sarampo, Vacina contra o Sarampo, Prevenção, Vacinação



Resumo


O sarampo é uma doença aguda causada por um vírus, altamente contagioso, que se transmite principalmente pelo contacto com aerossóis e pequenas gotículas produzidas quando uma pessoa infetada tosse ou espirra.
O sarampo pode ser muito grave se surgirem complicações.
O sarampo pode causar doença em qualquer idade, sendo que a vacinação adequada é segura e confere proteção ao longo de toda a vida.



Sarampo


Vírus do Sarampo

A infeção com o vírus do sarampo causa uma doença aguda, habitualmente benigna, mas que em alguns casos poderá ser grave ou mesmo mortal. O vírus do sarampo é altamente contagioso, estimando-se que em média 8 a 15 pessoas possam ser infectadas por um único caso de sarampo. Quando a pessoa infetada tosse ou espirra, produz aerossóis e pequenas gotículas com vírus que permanecem no ar durante várias horas com capacidade de transmitirem a doença. Segundo dados do centro europeu para a prevenção e controlo de doenças, de 2010 a 2015 foram notificados em Portugal 15 casos de sarampo.

Sintomas


Os primeiros sintomas surgem aproximadamente 8 a 12 dias após contacto com uma pessoa doente. Em regra são semelhantes aos de uma constipação, com febre, tosse e corrimento nasal. Os olhos podem ficar avermelhados e com maior sensibilidade à luz. Geralmente, entre o terceiro e o sétimo dia da doença, a febre pode atingir 39 a 41ºC. É caraterístico do sarampo o surgimento de manchas avermelhadas na pele, que inicialmente surgem na face e no pescoço, e depois se espalham por todo o corpo, progredindo para a pele do tronco, braços e pernas.

Complicações


Aproximadamente em 30% dos casos de sarampo surgem complicações clínicas, sendo estas mais comuns em crianças com idade inferior a 5 anos e em adultos. Incluem episódios de diarreia, infeção do ouvido médio, encefalite aguda e pneumonia, que é a causa mais comum de morte relacionada com o sarampo. O sarampo durante a gravidez aumenta o risco de abortamento, de parto prematuro e de recém-nascidos de baixo peso.

Diagnóstico e Tratamento


O sarampo é diagnosticado essencialmente pelos sintomas que o doente apresenta. Não há tratamento específico para o sarampo. A maioria das pessoas recupera com tratamento de suporte, que inclui controlar a febre e as dores com medicamentos do tipo do paracetamol, hidratação e repouso.

Prevenção


Mantenha a vacinação atualizada

A vacinação é a melhor proteção contra o sarampo.
De acordo com o Programa Nacional de Vacinação (PNV) a vacina contra o sarampo é dada em conjunto com a vacina contra a papeira e a rubéola numa vacina combinada chamada VASPR. São administradas duas doses de VASPR para atingir a proteção máxima. A primeira dose é dada aos 12 meses de idade e a segunda dose é administrada aos 5-6 anos de idade. Pessoas com idade igual ou superior a 18 anos, nascidas a partir de 1970, sem história de sarampo, e sem registo de administração de vacina contra o sarampo também devem ser vacinadas.
A vacina VASPR é eficaz e segura, sendo distribuída e administrada gratuitamente nos Centros de Saúde e Unidades de Saúde Familiares.

Segurança e eficácia da vacinação contra o sarampo


Em 1998, a revista médica The Lancet publicou um artigo, no qual era sugerida uma possível associação temporal entre a vacinação contra o sarampo (VASPR) e o aparecimento de doenças gastrointestinais e autismo em 12 crianças. Após anos de polémica, o artigo foi retirado, tendo sido provado que as conclusões do artigo eram fraudulentas.
A revisão sistemática mais recente publicada na reputada Cochrane Library reuniu dados de 14 milhões e 700 mil crianças vacinadas, concluindo que a vacina VASPR é segura, eficaz, e que não há qualquer prova de que possa estar associada a autismo, asma, leucemia, febre do fenos, diabetes tipo 1, perturbações na marcha, doença de Crohn, doenças desmielinizantes, bacterianas ou infecções virais.

Conclusão


O sarampo é uma doença vírica aguda, que pode levar a doença grave ou mesmo morte.
A vacinação está incluída no PNV em Portugal.
A vacina é gratuita, segura e eficaz, conferindo proteção para toda a vida.

Bibliografia


Alt text Alt text Alt text Alt text Alt text




Banner.jpg