Diferenças entre edições de "Rinite alérgica"

 
Linha 3: Linha 3:
 
|Última atualização=2016/02/19
 
|Última atualização=2016/02/19
 
|Palavras-chave=Rinite, Rinite alérgica, Alergia, Hipersensibilidade
 
|Palavras-chave=Rinite, Rinite alérgica, Alergia, Hipersensibilidade
 +
|Sigla da doença=R97
 
}}
 
}}
 
<br><br>
 
<br><br>
Linha 132: Linha 133:
 
|-
 
|-
 
! style="background: #efefef;" | <div style="float:left; font-size:x-large" class="small-12 medium-1 columns">[http://metis.med.up.pt '''Voltar à página inicial''']</div>
 
! style="background: #efefef;" | <div style="float:left; font-size:x-large" class="small-12 medium-1 columns">[http://metis.med.up.pt '''Voltar à página inicial''']</div>
! style="background: #efefef;" | <div style="float:right; font-size:x-large" class="small-9 medium-1 columns">[http://metis.med.up.pt/index.php/Mensagens '''Tem alguma dúvida? Fale connosco''']</div>
+
! style="background: #efefef;" | <div style="float:right; font-size:x-large" class="small-12 medium-1 columns">[http://metis.med.up.pt/index.php/Mensagens '''Tem alguma dúvida? Fale connosco''']</div>
! style="background: #efefef;" |[[file:Fb metis.png|30px|link=http://www.facebook.com/sharer/sharer.php?u=http://metis.med.up.pt/index.php/Rinite_al%C3%A9rgica|alt=Alt text|Partilha no facebook]]
+
! style="background: #efefef;" |[[file:Fb metis.png|30px|link=http://www.facebook.com/sharer/sharer.php?u=http://metis.med.up.pt/index.php/Rinite_alérgica|alt=Alt text|Partilha no facebook]]
 +
! style="background: #efefef;" |[[file:Google_plus.png|30px|link=https://plus.google.com/share?url=http://metis.med.up.pt/index.php/Rinite_alérgica|alt=Alt text|Partilha no google +]]
 +
! style="background: #efefef;" |[[file:TWT_METIS.png|30px|link=https://twitter.com/intent/tweet?text=Metis&url=http://metis.med.up.pt/index.php/Rinite_alérgica|alt=Alt text|Partilha no twitter]]
 +
! style="background: #efefef;" |[[file:In_metis.png|30px|link=http://www.linkedin.com/cws/share?isFramed=false&url=http://metis.med.up.pt/index.php/Rinite_alérgica|alt=Alt text|Partilha no LinkedIn]]
 +
! style="background: #efefef;"|[[file:PRINT_METIS.jpg|30px|link=http://metis.med.up.pt/index.php?title=Especial:Exportar_em_PDF&page=Rinite_alérgica|alt=Alt text|Imprimir como pdf]]
 
|}
 
|}
 +
  
  

Edição atual desde as 12h46min de 10 de janeiro de 2019

Autor: Rosário Mendonça e Moura

Última atualização: 2016/02/19

Palavras-chave: Rinite, Rinite alérgica, Alergia, Hipersensibilidade



Resumo


A rinite alérgica é uma doença muito frequente em Portugal.
É importante o seu reconhecimento e tratamento de forma a melhorar a qualidade de vida dos doentes.
O melhor tratamento é identificar os alergénios que a provocam e evitar o contacto.




O que é a rinite alérgica


A rinite é uma inflamação da mucosa do nariz. A rinite tem várias causas mas os seus sintomas são semelhantes.
No doente com rinite alérgica, o sistema imunitário identifica uma substância, normalmente inofensiva, como uma ameaça que é preciso combater. Esta substância chama-se alergénio.
A rinite é a doença alérgica crónica mais comum, afetando cerca de um quarto da população portuguesa, principalmente nos grandes centros urbanos.

Sintomas


Allergy-18656 1920.jpg
  • Corrimento nasal tipo “água”
  • Comichão no nariz
  • Espirros
  • Congestão nasal (nariz entupido)

Pode estar ainda associada a tosse, dor de cabeça, cansaço, comichão na garganta, olhos e boca e olheiras.

Os sintomas podem ser sazonais (numa determinada estação) ou ao longo de todo o ano (rinite perene).
Na primavera é mais comum a alergia aos pólenes e no inverno a alergia aos ácaros (pó da casa). A alergia ao pêlo dos animais (mais frequentemente do gato ou do cão) acontece ao longo de todo o ano.

Diagnóstico


O diagnóstico de rinite é muito simples pois basta o conjunto dos sintomas para o definir.
Poderá ser necessária uma consulta de especialidade para fazer os testes cutâneos que confirmarão a existência de uma alergia específica.

Tratamento


Uma parte muito importante do tratamento é reduzir o contacto com os alergénios.

  • Alergia aos ácaros do pó da casa:
    Mite-67638 1280.jpg
    • Retirar alcatifas, tapetes e cortinas grossas
    • Evitar utilização de lençóis de flanela ou cobertores felpudos
    • Evitar ter no quarto livros ou peluches
    • Aspirar o colchão da cama e o estrado, pelo menos uma vez por semana
    • Lavar os lençóis, semanalmente, a 60ºC


  • Alergia aos pólenes:
    Poplar-seeds-143436 1920.jpg
    • Evitar caminhar no campo sobretudo durante a primavera
    • Usar óculos quando sair de casa
    • Evitar fazer campismo, caça ou pesca, sobretudo na primavera
    • Para prevenir os sintomas, pode consultar o Boletim Polínico e a previsão semanal dos pólenes em Portugal, por região.


  • Alergia a animais domésticos:
    Cat-866645 1280.jpg
    • Evitar o contacto com esses animais
    • Mantê-los fora de casa
    • Manter a casa limpa


De uma forma geral é recomendado que todos os que sofrem de rinite alérgica tenham em atenção:

  • Evitar a exposição ao fumo do tabaco (fumadores e fumadores passivos)
  • Evitar fumos dentro de casa (como lareiras e fumeiros)
  • Evitar perfumes
  • Evitar produtos de limpeza com odor intenso


Lavagem nasal


Pode ser feita com soro fisiológico (de preferência) ou água do mar.
É importante fazer a lavagem das fossas nasais frequentemente para remover as secreções e os alergéneos.
Deve ser feita por rotina antes dos outros “sprays” para maior eficácia dos tratamentos.

Medicamentos para a rinite


O seu médico saberá qual o melhor a utilizar no seu caso. Aqui falamos genericamente nos principais:

Corticoide tópico nasal

Momet14.png
É o tratamento mais eficaz, melhorando muito os sintomas nasais. Devem ser utilizados regularmente.
Ao contrário dos corticoides orais, estes “sprays” são geralmente bem tolerados e com poucos efeitos secundários.
Para ser corretamente utilizado , a cabeça deve ser posicionada ligeiramente para baixo, sentado ou de pé e nunca deitado. Deve-se introduzir o “spray” no nariz, direcionando a cânula para fora. Evitar que este chegue à garganta. Se tal acontecer, deve lavar os dentes e boca após a utilização.
Anti-histamínicos


Aliviam a comichão, os espirros e o corrimento nasal.
Os anti-histamínicos orais devem ser utilizados por curtos períodos de tempo e apenas durante as crises.
Também existem em “spray” podendo ser utilizados diariamente ou nas crises.
Imunoterapia


As conhecidas “vacinas anti-alérgicas” são utilizadas quando os tratamentos anteriores não são eficazes, ficando a decisão a cargo do seu médico.



Prognóstico


A rinite sazonal pode melhorar espontaneamente com a idade.
O tratamento permite controlar os sintomas de forma aceitável. No entanto evitar o contacto com o alergénio é fundamental e pode alterar a eficácia da medicação.
Tanto a rinite perene como a sazonal interferem no dia a dia do doente: A adesão ao tratamento e as medidas de evicção podem alterar este fator, melhorando significativamente a qualidade de vida.

Conclusão


Pingo ao nariz, nariz entupido, espirros, comichão no nariz podem significar uma rinite. Se tem estes sintomas consulte o seu médico assistente. A identificação do fator de agravamento é fundamental. Os tratamentos disponíveis podem melhorar a doença e a sua qualidade de vida!

Artigos relacionados




Referências Recomendadas



Alt text Alt text Alt text Alt text Alt text




Banner.jpg