Diferenças entre edições de "O que é a asma"

Linha 4: Linha 4:
 
|Palavras-chave=Asma, Alergia, Testes cutâneos
 
|Palavras-chave=Asma, Alergia, Testes cutâneos
 
}}
 
}}
 +
<br><br>
 
{|border=1
 
{|border=1
 
! style="background:#F8F8FF;"|
 
! style="background:#F8F8FF;"|
Linha 77: Linha 78:
  
  
 +
<br>
 +
<div style="text-align: center; margin: auto; font-size: 90%; margin-top: -18px; margin-bottom: -20px;">
 +
[[Utilizador:Ricardo_Lima|Ricardo Lima]] &bull; [[Utilizador:Carla_Morna|Carla Morna]]
 +
</div>
 +
<br>
  
 
[[Categoria:Asma e rinite]]
 
[[Categoria:Asma e rinite]]

Revisão das 20h03min de 22 de abril de 2018

Autor: Ricardo Lima, Carla Morna

Última atualização: 2016/06/07

Palavras-chave: Asma, Alergia, Testes cutâneos



Resumo


A asma é uma doença respiratória inflamatória crónica que atinge cerca de 7% da população portuguesa e que pode desencadear crises graves de dificuldade respiratória, a maior parte das vezes devido a alergias.
Tem um grande impacto na qualidade de vida.
Não tem cura mas tem tratamento. É possível viver bem apesar da asma.




O que é a asma


Asma é uma doença respiratória inflamatória crónica caracterizada por obstrução reversível das vias respiratórias.
Tem um grande impacto na qualidade de vida. Não tem cura mas tem tratamento. É possível viver bem apesar da asma.
As alergias são o principal fator de risco. As infeções respiratórias, sobretudo víricas, e a história familiar são também fatores importantes.
Afeta cerca de 300 milhões de pessoas no mundo, com maior incidência nas crianças. Em Portugal afecta cerca de 7% da população. Com a adolescência a doença pode melhorar espontaneamente e eventualmente voltar a manifestar-se mais tarde.

Sintomas


Pode manifestar-se por:

  • Sensação de falta de ar, por vezes grave;
  • Prisão no peito;
  • Tosse;
  • Sibilância recorrente (gatinhos).



Fatores desencadeadores


As crises surgem maioritariamente na sequência de uma reação alérgica, infeção das vias respiratórias, ou exposição a agentes irritantes, poluição, ar frio, stress ou exercício físico. Esta doença tem apresentações muito variáveis de indivíduo para indivíduo.

Diagnóstico


Anatomy resp.png

O diagnóstico é feito com base nos sintomas que o doente apresenta mas pode ser complementado com provas de função respiratória, nomeadamente a espirometria. Este exame ao pulmão consiste na avaliação do volume de ar que entra e sai dos pulmões em cada respiração.
Pode ser necessária uma prova de broncoconstrição, que consiste na inalação de uma substância irritante para simular a crise de asma e confirmar o diagnóstico.
A identificação de alergénios ou irritantes inalatórios é importante porque vai permitir posteriormente a sua evicção e assim um melhor controlo da asma.

Prick-test/RAST


Holi-colour-672711 1920.jpg

O Prick-test permite identificar uma resposta alérgica a um determinado agente, seja ela de tipo inalatório, alimentar ou cutâneo, de uma forma segura e rápida. A selecção dos agentes a testar faz-se pela análise dos sintomas do doente. Se os sintomas ocorrerem mais na primavera é mais provável que seja uma alergia aos pólenes, os sintomas no inverno apontam para alergia aos ácaros, e alterações na pele ou no funcionamento intestinal fazem suspeitar de alergénios alimentares. O contacto recente com animais faz pensar nessa possibilidade.

Dandelion-626389 1920.jpg

O teste consiste na inoculação de uma pequena quantidade de alergénio na pele através de uma picada, geralmente do antebraço. No caso de existir uma alergia, a pele ficará dura e ruborizada no local da inoculação.
O RAST é a identificação dos anticorpos gerados pelo nosso organismo contra alergénios, através de uma análise ao sangue. Se determinados valores forem ultrapassados podemos dizer que há uma reacção alérgica a determinado agente.

Prognóstico


Atualmente o prognóstico da asma é muito favorável, com poucos casos a não responderem à medicação disponível.

Conclusão


A asma é uma doença respiratória crónica que se manifesta por dificuldade respiratória, tosse e respiração ruidosa.
Na maioria dos doentes é controlável evitando os agentes desencadeadores, e aderindo bem à medicação, nomeadamente usando corretamente os inaladores prescritos.

Artigos relacionados




Referências bibliográficas



Alt text




Banner.jpg