Mala para a maternidade

Revisão das 01h18min de 17 de setembro de 2020 por Paulo Santos (Discussão | contribs)

(dif) ← Revisão anterior | Revisão atual (dif) | Revisão seguinte → (dif)

Autor: Cláudia Vieira, Daniela Morais, Pedro Marques Pinto, Adão Araújo

Última atualização: 2020/09/16

Palavras-chave: maternidade; parto; recém-nascido



Resumo


A chegada de um filho é um dos momentos mais extraordinários que um casal pode vivenciar. Simultaneamente pode também ser um momento cheio de dúvidas e incertezas: Vai correr tudo bem? O bebé vai nascer saudável? Como é que vai ser? O que temos que preparar e comprar? O que levar para a maternidade?
É importante lembrar que cada hospital tem as suas especificidades e cada pessoa tem as suas preferências. No entanto, há alguns elementos essenciais e que são transversais a todas as futuras mães.




Mala para a maternidade: o que levar?


A mala da maternidade não necessita de ser um quebra-cabeças, nem uma despesa pesada no orçamento familiar. Simplificar, descomplicar e relaxar são as palavras de ordem.
A pressa é inimiga da perfeição. Fazer a mala de maternidade com antecedência ajuda a viver a fase final da gravidez e a não esquecer nada que possa fazer falta. A 35.ª – 36ª. semana de gravidez, ou seja, cerca de um mês antes da data prevista para o parto, é um bom momento para tratar da mala que deverá ser pequena e prática.
Elaborar uma lista com o que quer levar para si e para o seu bebé é uma boa forma de organizar a mala. Pode sempre trocar ideias com familiares e amigos ou com os profissionais de saúde que a acompanham.

Mother pregnant.jpg

A roupa do seu bebé deve ser previamente preparada:

  • Retirar as etiquetas à roupa do bebé
  • Lavar a roupa com água e um sabão neutro
  • Não utilizar amaciadores ou outros detergentes
  • Preferir o algodão macio para a roupa do bebé, sem botões ou elásticos e fácil de vestir
  • Os fechos de velcro devem estar fechados para a lavagem
  • Deve passar toda a roupa a ferro.


O que levar na mala para a maternidade?


Estes elementos constituem o conjunto básico. Podem ser ajustados em função da preferência da futura mãe, da sua experiência e dos condicionantes específicos da gravidez e do parto.

Na sala de parto
Para a mãe: Para o bebé:
  • Chinelos
  • Robe
  • Boletim de saúde da grávida
  • Exames realizados no exterior
  • Saco para roupa suja
  • Produtos de higiene pessoal
  • Gorro
  • Roupa interior (de algodão)
  • Roupa exterior (de algodão)
  • Fralda descartável
  • Fralda de pano
  • Manta
Nota: a primeira roupa do bebé deverá estar separada do restante para poder ser entregue na sala de partos às enfermeiras que o vestem
No internamento
Para a mãe: Para o bebé:
  • Camisas ou pijamas de manga curta e com abertura para amamentação
  • Soutien de amamentação
  • Cuecas de algodão/descartáveis
  • Discos de amamentação e mamilos de silicone
  • Pensos higiénicos
  • Chinelos de quarto e chinelos para o duche
  • Produtos de higiene pessoal
  • Toalha de banho e rosto
  • Medicamentos que toma habitualmente
  • Saco para roupa suja
  • Quatro mudas de roupa interior e exterior de algodão
  • Gorro
  • Fraldas descartáveis
  • Fraldas de tecido
  • Manta
  • Toalha de banho
  • Escova macia para o cabelo
  • Compressas ou toalhetes de higiene
  • Produtos de higiene/creme hidratante (opcional)
Nota: O internamento médio é de 2 dias para o parto normal e 3 dias para o parto por cesariana Nota: No enxoval para o bebé não está incluída a chupeta, pois esta não é recomendada nos primeiros dias de vida, visto interferir com a amamentação durante este período



Documentos e objetos de valor


  • Não levar objetos de valor nem para a mãe nem para o bebé
  • Documentos importantes:
    • Bilhete de identidade/Cartão de cidadão;
    • Boletim de saúde da grávida;
    • Análises, ecografias e outros exames que tenha feito ao longo da gravidez;
    • Cartão de beneficiário de subsistema de saúde ou seguro de saúde (se aplicável).



Segurança


A segurança do recém-nascido é fundamental. No dia da alta, não se deve esquecer da cadeira adaptada para o transporte do seu bebé. Deve ser adaptada ao recém –nascido (grupo 0 ou 0+) e instalada no sentido inverso ao da marcha. Se colocada no banco da frente terá de desligar o airbag.

Conclusão


Fazer a mala de maternidade pode ser um momento sensível para as futuras mães. É normal surgirem dúvidas. Aceitar a ajuda de quem tem mais experiência seja ou não o profissional de saúde que a segue, facilita que este momento possa ser relaxado e gratificante.


Referências recomendadas





Alt text Alt text Alt text Alt text Alt text



Banner.jpg