Dúvidas frequentes sobre Covid-19

Revisão das 01h47min de 26 de março de 2020 por Paulo Santos (Discussão | contribs)

(dif) ← Revisão anterior | Revisão atual (dif) | Revisão seguinte → (dif)

Autor: Paulo Santos

Última atualização: 2020/03/25

Palavras-chave: Coronavírus; Infeção respiratória; Pandemia



Resumo


No dia 31 de dezembro de 2019, as autoridades chinesas reportaram à Organização Mundial da Saúde (OMS) a existência de um surto de pneumonia de etiologia desconhecida na cidade de Wuhan, província de Hubei, na China.
Um novo vírus da família dos Coronavírus entretanto classificado como SARS-Cov-2 foi identificado como a causa da doença chamada Covid-19.
De então para cá, afetou mais de 400.000 pessoas em todo o mundo e vitimou cerca de 18.000 doentes, mais de metade na Europa.
Em 11 de março a Organização Mundial da Saúde declarou que o Covid-19 é uma pandemia.




Como se transmite a infeção?


O Covid-19 é provocado por um vírus da família dos coronavírus, o SARS-CoV-2.
A transmissão entre pessoas ocorre através da inalação de gotículas respiratórias ou por contacto direto com a boca, nariz ou olhos.
Quando uma pessoa está a falar, ou quando tem tosse ou espirros, vai libertar pequenas gotículas que podem atingir outra pessoa, contagiando-a.
O vírus não se transmite através da pele ou pelos alimentos.

Os animais de estimação podem transmitir a doença?


Não há evidência até ao momento de que os animais de estimação, cães e gatos, possam contrair ou transmitir a doença aos humanos.

Devo estar preocupado com o Covid-19?


A maioria das pessoas infetadas (cerca de 80%) vai desenvolver uma doença ligeira sem necessidade de grandes cuidados médicos e sem gravidade.
Os restantes 20% vão necessitar de internamento num hospital e eventualmente em cuidados intensivos.
A maior probabilidade de uma evolução severa está nas pessoas pertencentes aos grupos de risco.

Quem são os grupos de risco?


  • Idosos: A gravidade da infeção aumenta com a idade. Não houve até ao momento nenhuma morte entre crianças infectadas. Nos dados disponíveis da China, os idosos apresentaram taxas de fatalidade de 8% acima dos 70 anos e de 15% acima dos 80 anos, muito acima dos 2,3% da população geral.
  • Morbilidades: Estão identificadas algumas situações associadas a pior prognóstico da doença:
    • Hipertensão arterial
    • Doença cardiovascular
    • Diabetes mellitus
    • Doença respiratória crónica
    • Cancro
    • Estados de imunodeficiência

Como evolui a doença?


Forma ligeira: Quatro em cada cinco pessoas (81%) que contraiam a infeção vão ter sintomas ligeiros:

  • Febre ligeira
  • Tosse (seca)
  • Dor de garganta
  • Congestão nasal
  • Mal-estar
  • Dor de cabeça
  • Dores musculares
  • Mal-estar geral

Sinais e sintomas de uma doença mais grave, como falta de ar ou sensação de opressão no peito, não estão presentes.

Forma grave: Uma em cada 7 pessoas infetadas (14%) vai apresentar uma pneumonia grave, caracterizada pela existência dos sintomas acima referidos acompanhados de:

  • Falta de ar (dispneia)
  • Aumento da frequência respiratória
  • Sinais de má oxigenação (lábios e pele de cor azulada)


Forma crítica: Uma em cada 20 pessoas (5%) vai apresentar uma pneumonia muito grave com falência respiratória e necessidade de cuidados intensivos. Aproximadamente metade das pessoas deste grupo poderão vir a falecer (49%).

Porque tenho de ficar em casa?


Não há vacina disponível para o Covid-19.
As medidas preventivas baseiam-se em diminuir a possibilidade de contágio entre pessoas.
Quanto mais afastadas estiverem, menor a probabilidade de que possam contagiar ou ser contagiadas pelo vírus. O afastamento de 1 a 2 metros é suficiente.
Ficar em casa serve este propósito. Quanto mais pessoas estiverem juntas maior a possibilidade de alguém poder transmitir a infeção.

Uma pessoa sem sintomas pode ser contagiosa?


Há um período sem sintomas de 1 a 14 dias desde o momento em que a pessoa tem contacto com o vírus até desenvolver a doença. O mais comum é um período de incubação de 5 dias.
O vírus pode ser libertado antes de dar sintomas significativos, pelo que o contacto nesta fase pode originar um contágio.

Que outras medidas preventivas devo ter?


Recomenda-se que protejam a tosse e os espirros com o braço ou cotovelos para evitar a disseminação das gotículas. Prefira os lenços de papel de utilização única.
Lavar as mãos com água e sabão ou com solução hidroalcoólica. O vírus não contagia pela pele, mas as mãos são um veículo que pode levar o vírus até aos olhos, nariz ou boca.
Desinfetar as superfícies e objetos onde possam ter caído as gotículas respiratórias e daí possam contagiar outras pessoas quando transportadas para contacto com olhos, nariz ou boca. Não há certeza de quanto tempo o vírus permanece viável nas superfícies, mas é removido com um detergente simples ou um desinfectante.

Tenho de usar uma máscara?


Medical mask.jpg

O uso de máscara não demonstrou eficácia preventiva para a maior parte das pessoas.
As máscaras respiratórias devem ser utilizadas pelas pessoas doentes no sentido de evitar a libertação de gotículas infetadas.
Também estão recomendadas para as pessoas que lidam de forma próxima com estes doentes.
De qualquer das formas, devem ser bem utilizadas, com especial atenção a não serem manipuladas e ao retirar serem embrulhadas num saco plástico e rejeitadas para o lixo. É fundamental lavar bem as mãos cada vez que se toca na máscara.
As máscaras são de utilização única. Uma vez retiradas não devem ser reutilizadas.

Como colocar a máscara?


  1. A máscara só deve ser utilizada por profissionais de saúde, cuidadores e pessoas com sintomas respiratórios, como febre e tosse
  2. Antes de tocar na máscara, lave bem as mãos com água e sabão ou um sabonete à base de álcool
  3. Pegue a máscara e verifique se está intacta (sem rasgões)
    Gloves.jpg
  4. A tira de metal fica orientada para cima.
  5. O lado colorido fica orientado para fora
  6. Coloque a máscara na cara, apertando a tira de metal para a adaptar à forma do nariz.
  7. Puxe a parte inferior da máscara para que cubra completamente a boca e o queixo
  8. Após a utilização, retire a máscara, removendo as presilhas por trás das orelhas. Mantenha a máscara afastada do rosto e das roupas, evitando tocar na superfície potencialmente contaminada da máscara
  9. Deposite a máscara num saco plástico e coloque no lixo.
  10. Lave sempre as mãos depois de tocar ou descartar a máscara, com água e sabão ou com solução hidroalcoólica



Tenho de usar luvas?


As mãos não são uma porta de entrada dos vírus no organismo, pelo que não faz sentido usar luvas de proteção, mas sim lavar as mãos com água e sabão após qualquer contacto com materiais potencialmente infetados. Podem até ser agentes de contaminação se não forem devidamente manipuladas e rejeitadas após cada utilização.

Conclusão


Estas e outras dúvidas estão no discurso de cada dia.
Estaremos preparados para responder a todas as questões que nos coloquem.
Envie-nos a sua questão que poderá ajudar outros com a mesma dúvida.

Referências recomendadas




Alt text Alt text Alt text Alt text Alt text



Banner.jpg