Como utilizar uma sonda nasogástrica

Revisão das 23h18min de 23 de fevereiro de 2020 por Paulo Santos (Discussão | contribs)

Autor: Ana Cláudia Paiva, Andreia Marques, Marisa Garcês

Última atualização: 2019/12/19

Palavras-chave: alimentação; intubação gastrointestinal; nutrição enteral



Resumo


As necessidades alimentares acompanham o desenvolvimento humano, variando com a idade e doenças que surjam.
Há situações específicas em que a alimentação pela boca não é possível ou não é suficiente, havendo necessidade de recorrer à sonda nasogástrica, a qual permite administrar alimentos, líquidos e medicamentos.
A utilização de sonda tem indicações específicas, sendo um bem necessário nesses casos. No entanto, podem existir algumas complicações. De forma a evitá-las, é essencial saber utilizá-la corretamente: quais os alimentos que devem ser utilizados e como devem ser preparados, como se prepara a pessoa e a sonda nasogástrica para administrar os alimentos, quais os passos para administrar produtos corretamente e quais os cuidados a ter com a sonda.




Sonda nasogástrica


A sonda nasogástrica define-se como um tubo inserido desde o nariz até ao estômago. Utiliza-se para administrar alimentos, líquidos e medicamentos a pessoas sem capacidade de deglutição ou quando a quantidade fornecida não é suficiente.

Indicações


  • Necessidade de garantir que a pessoa recebe quantidade de alimentos e água adequada;
  • Alimentar pessoas que não o conseguem fazer pela boca (ex: após AVC, doenças musculares, lesões da cabeça ou pescoço);
  • Assegurar a toma de medicamentos, quando não é possível pela boca e não existe formulação injetável, em doentes que estejam em casa.



Vantagens


  • Controlar a quantidade de alimentos e líquidos ingeridos;
  • Administrar medicamentos pela sonda, assegurando que a toma é realizada;
  • Evitar a hospitalização para alimentação e hidratação.



Desvantagens/complicações


  • Inspiração de alimentos para os pulmões se a sonda estiver mal colocada ou se vomitar;
  • Intolerância aos alimentos dados através de sonda;
  • A pessoa pode reagir mal à colocação e permanência da sonda;
  • Dificuldade dos familiares/cuidadores em usar a sonda corretamente.



Utilização


A sonda nasogástrica raramente é uma situação definitiva. A sua utilização pode ser dividida em:

  • Exclusiva, quando o doente é sempre alimentado por sonda;
  • Parcial, quando a pessoa tem sonda, mas é alimentada pela boca sempre que possível.



Colocação


Por norma, a sonda nasogástrica é colocada por um profissional de saúde.

Alimentos


  • Artesanais – alimentos simples, preparados em casa, podendo ser aqueles que a pessoa mais gosta, com menor custo. Podem ser caldos, sopas, frutas, papas ou batidos de leite. Os alimentos devem ser bem lavados, descascados e cozidos, aproveitando a água da cozedura. Devem ser triturados até atingir uma consistência suficientemente líquida para evitar a obstrução da sonda. O leite/água pode estar quente para se dissolver melhor, mas com o cuidado de estar morno na administração, para evitar queimaduras. Os batidos devem ser feitos com frutas que se dissolvam inteiramente, ou utilizar-se um coador.
  • Produtos industriais – alimentos específicos para este fim, processados, com nutrientes em quantidades determinadas. Podem ser adquiridos em farmácias, parafarmácias e por em compras online. São normalmente mais caros, mas podem ser necessários em algumas situações específicas. Devem ser consumidos até 24 horas após abertura.



Antes da refeição


SNG(1).jpg
  • A pessoa deve ficar sentada; se não for possível, deitada de lado (para evitar aspiração para os pulmões);
  • Comece por lavar as mãos;
  • Verifique se o adesivo está bem posicionado no nariz e se a sonda está no estômago: com uma seringa, tente aspirar a sonda e, se fluir conteúdo, significa que está bem colocada e pode alimentar. Caso não se verifique, contacte a equipa de saúde;
  • Verifique o volume de conteúdo aspirado: se for igual ou superior à última refeição administrada, introduza novamente o conteúdo e espere cerca de 1 hora; recomece a alimentação com um chá e, se for bem tolerado após 1 hora, pode dar alimentos mais consistentes.



Durante a refeição


  • Verifique a temperatura dos alimentos, colocando na parte interna do punho uma pequena quantidade: alimentos muito quentes podem provocar queimaduras e muito frios desconforto;
  • Encha a seringa e adapte-a à sonda nasogástrica;
  • Introduza o alimento lentamente. A refeição deve demorar 15 a 20 minutos e a quantidade de alimentos introduzida em cada refeição deve ser no máximo 300ml a 400 ml; no final da refeição, introduza 20 a 30 ml de água morna para lavar a sonda (impede que a sonda entupa);
  • Feche a sonda (dobrar na extremidade), retire a seringa e coloque a tampa; esta medida tem que ser realizada sempre que encha a seringa com alimento;
  • Depois de alimentar o doente por sonda, este deve permanecer sentado cerca de 30 minutos, para facilitar a digestão e impedir que os alimentos voltem à boca;
  • Durante o dia deve ir administrando água (6 a 8 copos) pela sonda, para manter a hidratação do doente;
  • O intervalo entre as refeições não deve ser superior a 3 horas.



Cuidados especiais


  • O adesivo do nariz deve ser mudado preferencialmente todos os dias, tendo o cuidado de não deslocar a sonda; deve limpar o nariz diariamente;
  • Mesmo que o doente seja alimentado apenas por sonda, é importante fazer os cuidados de higiene oral diários, com lavagem da boca e dentes/placa dentária;
  • Se a sonda sair do sítio (exteriorizar) não a deve voltar a introduzir.



Conclusão


A utilização de sonda nasogástrica é vantajosa para administrar alimentos, líquidos e medicamentos a pessoas sem capacidade de o fazer pela boca, devendo ser realizada corretamente para evitar complicações.

Referências Recomendadas



Alt text Alt text Alt text Alt text Alt text





Ana Cláudia Paiva, Andreia Marques, Marisa Garcês

Banner.jpg