Osteoartrose do joelho

Autor: Rita Meireles Pedro, Helena Garcia Fonseca, Pedro Costa Dias

Última atualização: 2019/12/20

Palavras-chave: osteoartrose, joelho, fatores de risco, atividade física, tratamento



Resumo


A osteoartrose do joelho ou gonartrose é a forma mais comum de artrite. Resulta da degeneração intrínseca da cartilagem articular, levando a alterações irreversíveis que levam a dor e deformação da articulação do joelho.
Na gestão desta doença crónica, os principais objetivos são o controlo da dor e a manutenção da atividade, mobilidade, capacidade funcional e qualidade de vida.




Osteoartrose do joelho


A osteoartrose do joelho ou gonartrose é uma doença irreversível que resulta na degeneração da cartilagem desta articulação, levando ao seu desgaste progressivo. O agravamento desta doença leva ao aparecimento de dor e deformação do joelho, condicionando uma diminuição marcada da capacidade funcional da pessoa e da sua qualidade de vida. Em Portugal, atinge uma em cada 8 pessoas, sendo pouco comum antes dos 40 anos e tornando-se mais frequente com o avançar da idade.

Quais os principais fatores de risco?


Apesar de não existir um factor causal predominante, alguns fatores de risco têm sido associados à gonartrose:

  • Idade (mais comum nos mais idosos);
  • Sexo feminino (prevalência de 15,8% nas mulheres vs. 8,6% nos homens, em Portugal);
  • Excesso de peso/obesidade;
  • Traumatismos do joelho afetado;
  • Atividade física de elevado impacto (ex: corrida);
  • Doenças metabólicas e endócrinas (ex: diabetes, gota);
  • Doenças articulares inflamatórias.



Quais os principais sintomas?


Os principais sintomas da osteoartrose são:

  • Dor no joelho (gonalgia) –agrava ao longo do dia com o movimento e esforço, e melhora com o repouso (chamada dor mecânica); a localização e intensidade da dor dependem do tipo de lesão articular;
  • Instabilidade - falta de confiança no joelho, podendo levar a queda;
  • Bloqueio do joelho;
  • Edema (Inchaço);
  • Perda da mobilidade normal da articulação - dificuldade em fletir e esticar o joelho;
  • Limitação da marcha - causada pela dor associada.



Como tratar?


Fenomeno ciclico.jpg

A osteoartrose do joelho é uma doença crónica e, por isso, não tem cura. No entanto, é possível aliviar os sintomas através de tratamento, cujos objetivos são:

  • aliviar a dor;
  • melhorar mobilidade das articulações e evitar a atrofia dos músculos;
  • impedir o agravamento das lesões já existentes.

É fundamental compreender que, como doença crónica, apresenta períodos de agravamento e de melhoria, sendo essencial aprender e aplicar regras gerais de tratamento básicas.

1. Recomendações Gerais:
Elder-2068818 1920.jpg
  • Perda de Peso;
  • Alterações de estilos de vida;
  • Analgesia simples (comprimidos);
  • Anti-inflamatórios tópicos (gelo, pomadas);
  • Se necessário, usar canadianas ou bengala para apoio da marcha do lado não afectado (o seu uso diminui a força exercida sobre a articulação);
  • Utilização de calçado adequado e/ou palmilhas;
  • Atividade física de acordo com o tolerado (fortalecimento muscular local e exercício aeróbio de baixo impacto, como caminhadas, bicicleta, hidroginástica);
  • Recuperação funcional com fisioterapia



2. Exercício físico

O exercício físico é uma parte fundamental do tratamento da osteoartrose do joelho, sendo que o objetivo é que se acumule pelo menos 150 minutos por semana, 30 minutos por dia, durante 5 dias. O exercício deve ser encorajado de acordo com a preferência e tolerância do doente.
As caminhadas são benéficas, preferindo-se os terrenos planos. A bicicleta estática pode ser uma alternativa. É fundamental usar um calçado adequado e bem adaptado ao pé.
Os exercícios realizados dentro de água, como a natação ou a hidroginástica, são outra opção. Diminuem o impacto e permitem a realização de exercícios com menor sobrecarga da articulação do joelho.
Devem ser evitados os desportos de contacto (ex. futebol, basquetebol), devido ao risco de traumatismo ósseo e articular.
Em qualquer caso, o aparecimento de dor aguda ou maior que o habitual deve fazer parar a atividade e eventualmente procurar ajuda médica. Após o exercício, é normal sentir alguma dor muscular ou desconforto articular mínimo, tolerável.

3. Outras opções de tratamento

Quando as medidas gerais não são suficientes para resolver os sintomas torna-se necessária uma avaliação por ortopedia, onde poderá realizar outros tipos de tratamentos mais invasivos, como infiltrações articulares, artroscopias, osteotomias ou mesmo prótese do joelho, que poderão melhorar o prognóstico.

Conclusão


A gonartrose é uma causa muito importante de dor e incapacidade funcional. Apesar de não ter cura, o seu tratamento pode permitir a manutenção de uma vida normal na maioria dos casos.

Referências recomendadas



Alt text Alt text Alt text Alt text Alt text




Banner.jpg