Lesões músculo-esqueléticas relacionadas com o trabalho

Autor: Catarina Henriques

Última atualização: 2019/01/16

Palavras-chave: Dor; trabalho; repetibilidade; sobrecarga; postura; prevenção



Resumo


As lesões músculo-esqueléticas relacionadas com o trabalho são lesões inflamatórias e degenerativas do aparelho locomotor que resultam da ação de fatores de risco profissionais.
Os locais mais frequentemente afetados são o pescoço, costas, ombros e membros superiores e os principais sintomas são dor, formigueiro, sensação de peso, cansaço, desconforto ou perda de força no local afetado.
Os sintomas surgem gradualmente, agravando-se no final do dia de trabalho e aliviando com o repouso, contudo tem tendência a intensificar-se e a tornarem-se constantes e irreversíveis ao longo do tempo, podendo até levar a deformidades.
É fundamental conhecer quais os fatores de risco profissionais implicados para poder implementar medidas preventivas que promovam a alteração das condições de trabalho evitando a progressão das lesões para estadios que impliquem tratamento e auxilio médico.




Lesões músculo-esqueléticas relacionadas com o trabalho


As lesões músculo-esqueléticas relacionadas com o trabalho são lesões inflamatórias e degenerativas do aparelho locomotor que resultam da ação de fatores de risco profissionais como a repetibilidade, a sobrecarga e a postura adotada durante o trabalho.
As lesões mais comuns são no pescoço, costas, ombros e membros superiores, podendo ocorrer em qualquer parte do corpo exposta aos fatores de risco.

Sintomas


Desk-312595 1280.png
  • Dor localizada ou que irradia para áreas corporais próximas;
  • Sensação de formigueiro na área afetada ou numa área próxima;
  • Sensação de peso, cansaço ou desconforto localizado;
  • Sensação de perda de força no local.

Na grande maioria dos casos, os sintomas surgem gradualmente, agravam-se no final do dia de trabalho ou durante os picos de produção e aliviam com o repouso e nas férias.

Evolução dos sintomas



"Evolução dos sintomas das lesões musculo-esqueléticas relacionadas com o trabalho"




Fatores de risco


  • Movimentação e levantamento de cargas, especialmente quando executados movimentos de torção e flexão
  • Movimentos repetitivos, utilizando sempre as mesmas regiões anatómicas para a aplicação da força
  • Posturas incorretas, estáticas, ou extremas (quase no limite das possibilidades articulares e fora dos ângulos de conforto articular)
  • Estar de pé ou sentado, na mesma posição, durante muito tempo
  • Exposição a vibrações, choques ou impactos mecânicos frequentes sobre determinados segmentos corporais, em particular os membros superiores
  • Ambientes com má iluminação ou temperaturas baixas
  • Trabalho em ritmo acelerado e ausência de períodos de recuperação entre tarefas


Há também uma correlação entre as lesões musculosqueléticas e os fatores de risco psicossociais, especialmente quando conjugados com fatores de riscos físicos, incluindo:

  • Elevado volume de trabalho
  • Pressão temporal de execução das tarefas
  • Autoritarismo das chefias e mecanismos de avaliação do desempenho baseados nos níveis de produtividade
  • Pouca autonomia
  • Pouca satisfação no trabalho
  • Monotonia de tarefas



Como prevenir


  • Avalie o peso das cargas antes do transporte manual e sempre que possível auxilie a movimentação com equipamentos próprios para o efeito.
  • Garanta que os equipamentos são ergonomicamente concebidos e adequados para as funções em causa e para o seu operador.
  • Levante os pesos do chão sem se inclinar - agache-se, segure nos pesos e levante-se.
  • Adapte a disposição do local de trabalho para melhorar as posturas adotadas, sentando-se sempre com as costas bem apoiadas.
  • Evite o trabalho repetitivo e prolongado em posturas incorretas, extremas ou estáticas e mude de posição frequentemente.
  • Planeie pausas para descanso durante o trabalho e momentos de relaxamento após o mesmo.
  • Faça alongamentos antes de ir trabalhar para aquecer os músculos, e se possível durante o período de trabalho faça-os a cada 2 horas.
  • Pratique desporto regularmente (caminhar, nadar, andar de bicicleta, hidroginástica…).



Como tratar?


  • Aplique calor durante 20 minutos e massaje suavemente várias vezes por dia na zona mais dolorosa.
  • Evite a dor - evite levantar pesos, adotar posturas incorretas ou extremas, tentar alcançar objetos que estejam muito altos esticando-se, ou fazer outros esforços que desencadeiem os sintomas.
  • Faça a sua vida normal e mova-se - Não fique de repouso absoluto na cama, pois prolonga a dor!
  • Os analgésicos melhoram a dor. Mas não são isentos de riscos. A regra é tomar a menor dose e pelo menor tempo necessários. O médico assistente poderá ajudar a encontrar a melhor alternativa em cada caso.



Quando ir ao medico?


  • Se a dor o acordar durante a noite
  • Se a dor não aliviar com o repouso, relaxamento, aplicação de calor, massagem local ou analgésico apropriado
  • Se a dor persistir mais de 2 semanas
  • Se a dor irradiar para outras regiões(como braços ou pernas)
  • Outros sintomas como febre, tosse ou perda de peso



Conclusão


As lesões músculo-esqueléticas são uma das doenças mais comuns relacionadas com o trabalho que podem ser evitadas implementando-se medidas preventivas que se baseiam essencialmente na alteração das condições de trabalho.

Referências recomendadas



Alt text Alt text Alt text Alt text Alt text




Banner.jpg