Doenças provocadas pelo calor

Autor: Sandra Ribeiro, Carolina Andrade

Última atualização: 2021/07/19

Palavras-chave: Doenças de calor, edema por calor, síncope por calor, cãibras por calor, exaustão por calor, golpe de calor



Resumo


Doenças provocadas pelo calor englobam alguns distúrbios cuja gravidade varia de cãibras musculares até ao golpe de calor (que é uma emergência com risco de vida).
Estas doenças, embora evitáveis, afetam milhares de pessoas a cada ano e podem ter repercussões importantes na saúde.
Normalmente ocorrem quando o sistema de controlo da temperatura corporal do indivíduo deixa de trabalhar deixando de produzir suor para proporcionar o arrefecimento do corpo. A temperatura pode atingir os 39ºC provocando falência de múltiplos órgãos ou até mesmo a morte se o indivíduo não for socorrido de forma rápida.
É importante evitar estas situações provocadas pela exposição ao calor intenso e, caso ocorram, saber reconhecer os sintomas de forma a procurar ajuda médica.




Doenças provocadas pelo calor


A exposição a temperaturas e humidade elevadas, particularmente durante vários dias consecutivos, em particular em períodos de Ondas de Calor, pode ocasionar um largo espectro de condições, nomeadamente edema, síncope, cãibras, exaustão por calor e golpe de calor. Estes problemas devem ser considerados como partes sobrepostas de um contínuo, que vão progredindo de um quadro mais ligeiro, até situações que, pela sua gravidade, podem obrigar a cuidados médicos de emergência.

Sun-208584 1920.jpg

O nosso corpo apresenta mecanismos fisiológicos responsáveis por manter a temperatura corporal interna dentro de um intervalo relativamente estreito (35ºC – 39ºC).
Durante períodos de calor intenso o corpo humano dissipa o excesso de calor através do aumento do fluxo sanguíneo cutâneo, que permite a transferência de calor do interior do corpo para a pele, e através da produção de suor para a superfície da pele para subsequente evaporação. Quando a temperatura exterior é superior à temperatura da pele, o único mecanismo de libertação de calor disponível é através da evaporação pelo suor. No entanto, qualquer fator que impeça a evaporação, como humidade elevada ou a reduzida passagem do ar (roupas apertadas, ausência de brisa), irão levar ao aumento da temperatura corporal e, consequentemente o aparecimento de doenças relacionadas com o calor.
As pessoas mais vulneráveis a estas condições são as crianças nos primeiros anos de vida, os idosos, as grávidas, os doentes crónicos (nomeadamente doenças cardiovasculares, respiratórias, renais, diabetes e alcoolismo), as pessoas com obesidade, acamados, pessoas com problemas de saúde mental, sem abrigo, trabalhadores de exterior e desportistas.

Doenças provocadas pelo Calor



Edema por Calor (“Inchaço”)

Condição benigna, autolimitada, que resulta da acumulação de líquido no espaço intersticial das extremidades corporais devido a vasodilatação periférica.

Cãibras por Calor

Contrações musculares involuntárias, dolorosas, do abdómen, das pernas e braços, provocadas pela perda excessiva de água e de eletrólitos pela sudação.

Síncope por Calor (“Desmaio”)

Perda transitória da consciência, de início súbito, curta duração e recuperação espontânea completa, que resulta da diminuição do fluxo cerebral causada por vasodilatação periférica, hipotensão ortostática e diminuição do débito cardíaco. A idade avançada, a desidratação e a coexistência de patologias crónicas, como a doença cardíaca isquémica, aumentam a predisposição para a síncope associada ao calor.
0 É importante relembrar que esta condição pode também estar associada a quadros mais graves das doenças provocadas pelo calor.

Exaustão por Calor

A exaustão por calor é uma forma mais grave das doenças provocadas pelo calor, que surge após vários dias de exposição contínua ao calor e resulta da depleção prolongada de água e eletrólitos. Manifesta-se por sede intensa, cefaleias, ansiedade, náuseas, vómitos e fadiga. A pele fica húmida e pode existir hipertermia (temperatura corporal superior a 37º C mas inferior a 40º C). Frequentemente, a pessoa está hipotensa, com taquicardia e polipneica.
Sem tratamento, a exaustão pelo calor pode evoluir para o Golpe de Calor.

Golpe de Calor

O Golpe de Calor é uma emergência médica caracterizada pela instalação súbita de hipertermia (temperatura corporal superior a 40ºC) e disfunção neurológica central.
As manifestações neuropsiquiátricas associadas a esta condição clínica são precoces e universais e podem incluir delírios, alucinações, crises convulsivas, disfunção cerebelosa e coma. A nível físico, manifesta-se através de pele quente e seca, taquicardia, hiperventilação, hipotensão arterial ou choque. A ausência de sudação é uma manifestação tardia do golpe de calor.
Esta condição clínica pode evoluir rapidamente para disfunção multiorgânica, complicando-se com encefalopatia, insuficiência renal aguda, síndrome de dificuldade respiratória aguda, citólise hepática, isquemia intestinal e coagulação intravascular disseminada.

Medidas preventivas


Cup-1177644 1920.jpg
  • Aumentar a ingestão de água, ou sumos de fruta natural sem adição de açúcar, mesmo sem ter sede. Evitar bebidas alcoólicas e bebidas com elevados teores de açúcar.
  • Fazer refeições leves e frequentes. Evitar as refeições pesadas e muito condimentadas.
  • Permanecer duas a três horas por dia num ambiente fresco, ou com ar condicionado. Se não tiver ar condicionado, deve visitar centros comerciais, cinemas, museus ou outros locais de ambiente fresco.
  • Manter a casa fresca. No período de maior calor, correr as persianas ou portadas; ao entardecer, quando a temperatura exterior for mais baixa do que a interior, deixar que o ar circule pela casa.
  • No período de maior calor tomar um duche de água tépida ou fria. Evitar, no entanto, mudanças bruscas de temperatura (um duche gelado, imediatamente depois de se ter apanhado muito calor, pode causar hipotermia, principalmente em pessoas idosas ou em crianças).
  • Evitar a exposição direta ao sol, em especial entre as 11 e as 17 horas. Sempre que se expuser ao sol, ou andar ao ar livre, usar um protetor solar com um índice de proteção elevado (igual ou superior a 30) e renovar a sua aplicação de 2 em 2 horas.
  • Evitar ficar em viaturas expostas ao sol nos períodos de maior calor, nas filas de trânsito ou nos parques de estacionamento. Se o carro não tiver ar condicionado, não fechar completamente as janelas e, sempre que possível, viajar de noite.
  • Evitar atividades que exigem esforço físico e repousar frequentemente em locais à sombra, frescos e arejados.
  • No exterior usar roupa larga, clara e fresca, de preferência de algodão e, não esquecer do chapéu e dos óculos.
  • Ter especial atenção, aos doentes com patologias crónicas, crianças, idosos e pessoas com mobilidade reduzida.
  • Conhecer os sinais/sintomas das diversas doenças associadas ao calor, de forma a tomar as medidas necessárias o mais rápido possível.


O que fazer se uma pessoa apresenta sinais/sintomas de Exaustão ou Golpe de calor?


  • Ligar para o número de emergência 112;
  • Mover a pessoa para um local fresco ou para uma sala com ar condicionado;
  • Aplicar toalhas húmidas ou pulverizar com água fria para arrefecer o corpo;
  • Arejar o ambiente com uma ventoinha ou mesmo com um abanador;
  • Se a pessoa não estiver consciente, não dar líquidos. Se estiver consciente, oferecer sumos de fruta natural sem açúcar e colocar as pernas ao alto.


Conclusão


As doenças provocadas pelo calor podem manifestar-se de diversas formas, desde as mais ligeiras, como o edema e as cãibras, até às mais graves, como a Exaustão por calor e o Golpe de calor, sendo que esta última, requer assistência médica imediata porque pode resultar em morte.
A prevenção é a melhor forma de minimizar os efeitos negativos para a saúde associado a estes fenómenos meteorológicos extremos. Também é importante reconhecer os sinais e sintomas destas condições clínicas, de forma a tomar as medidas necessárias o mais rápido possível.

Referências recomendadas



Alt text Alt text Alt text Alt text Alt text






Banner.jpg