Doença Renal Crónica

Autor: Pedro Figueira, Joana C. Silva, Graciela Camacho

Última atualização: 2018/11/20

Palavras-chave: Rim, doença renal crónica, prevenção



Resumo


A doença renal crónica é uma doença muito frequente na nossa população e consiste numa perda continuada da função dos rins.
Os mecanismos de instalação são muitas vezes complexos mas têm origem em fatores de risco identificados, sobretudo a hipertensão arterial e a diabetes mellitus, mas existem muitos outros.
Inicialmente pode não causar qualquer sintoma. O tratamento passa pela prevenção da progressão de modo a travar a doença numa fase inicial, em que ainda não provoca grandes complicações. Isto pode ser alcançado através de correção de estilos de vida, controlo da pressão arterial e da glicémia e evicção de substâncias que agravam a função renal. Caso se atinja uma falência total dos rins, existem algumas opções terapêuticas, tal como a hemodiálise, a diálise peritoneal e o transplante renal.



Doença Renal Crónica


Kidney.jpg

Os rins são órgãos nobres do corpo humano que se situam acima da cintura, um de cada lado da coluna vertebral. Têm como função:

  • Filtrar o sangue proveniente de todo o nosso organismo, removendo assim os produtos tóxicos sob a forma de urina;
  • Remover o excesso de água;
  • Controlar o equilíbrio de sais minerais (sódio, potássio, cálcio, fósforo);
  • Ajudar a estimular a produção de glóbulos vermelhos, através da produção de uma hormona chamada eritropoietina, evitando assim o surgimento de anemia;
  • Produzir vitamina D, essencial para ossos saudáveis e resistentes.



O que é a doença renal crónica?


A doença renal crónica consiste numa diminuição persistente, lenta e progressiva da função dos rins, que leva a uma acumulação de substâncias que, numa situação normal, seriam eliminadas pela urina. Apresenta vários níveis de gravidade, até ao limite da falência completa dos rins.
A anemia crónica e a osteoporose são complicações possíveis na evolução desta doença.

O que é que pode causar doença renal?


A doença renal crónica é causada, na maior parte dos casos, pela Hipertensão arterial e pela Diabetes mellitus, mas existem muitas outras causas:



Quais são os sintomas da doença renal crónica?


Na sua fase inicial, a doença renal crónica não causa qualquer tipo de sintoma.
À medida que esta progride, pode surgir:

  • Inchaço dos pés, tornozelos ou pernas;
  • Aumento da pressão arterial;
  • Cansaço;
  • Fragilidade óssea.



O que posso fazer no meu dia-a-dia para evitar a progressão desta doença?


A proteção dos rins pode ser feita através de medidas simples:

  • Controlar a pressão arterial;
  • Controlar os níveis de açúcar no sangue;
  • Adotar uma alimentação nutricionalmente equilibrada e variada;
  • Consumir 1,5 a 3 litros de água por dia;
  • Não fumar;
  • Manter um peso corporal adequado;
  • Evitar a utilização excessiva e prolongada de medicamentos anti-inflamatórios não esteróides (por exemplo, ibuprofeno, diclofenac, naproxeno, entre outros).



Caso a doença surja, que opções de tratamento existem?


Nos estádios iniciais da doença, existem medicamentos que podem ser prescritos pelo seu médico para retardar a evolução da lesão renal.
Tendo em conta o carácter progressivo desta doença crónica, os rins podem atingir um grau de falência total ou quase total. Nestes casos (doença renal crónica terminal), existem várias opções que visam substituir a função dos rins no nosso organismo:

  • Hemodiálise, em que todo o sangue no nosso corpo é filtrado através de uma máquina. Este procedimento deverá ser feito cerca de 3 vezes por semana, durante toda a vida.
  • Diálise peritoneal, em que é utilizado um líquido especial que permanece no interior do abdómen (peritoneu) e que é renovado diariamente.
  • Transplante renal, em que há receção de um rim de um doador compatível (vivo ou cadáver);

A escolha do melhor tratamento vai depender de fatores como os antecedentes pessoais de cada doente, as preferências pessoais, a disponibilidade de doador compatível, e existência de eventuais contraindicações para alguma modalidade terapêutica, entre outros.
É possível viver muitos anos com a doença renal crónica terminal, mas com cuidados médicos permanentes e um impacto muito significativo na qualidade de vida das pessoas, o que obriga a ponderar cuidadosamente cada decisão em cada momento. A melhor opção será sempre a prevenção e a deteção precoce.
O médico assistente e o nefrologista estão preparados par discutir as diferentes opções e encontrar a melhor decisão em cada caso.

Conclusão


A doença renal crónica é uma doença que afeta a normal função dos rins, sendo imprescindível conhecer as causas e fatores agravantes para atuar de forma eficaz na sua evolução.

Referências recomendadas



Alt text Alt text Alt text Alt text Alt text



Banner.jpg