Artrite reumatoide

Autor: Ana Isabel Marinho

Última atualização: 2020/09/15

Palavras-chave: artrite reumatoide, inflamação articular, rigidez, reumatologia



Resumo


A artrite reumatoide é uma doença reumática inflamatória, autoimune, crónica, de causa desconhecida, que se caracteriza pela inflamação das articulações e que pode conduzir à destruição do tecido articular e periarticular.
As manifestações características da artrite reumatoide incluem rigidez, inchaço, dor e limitação do movimento, principalmente nas articulações das mãos, pés, ombros, cotovelos, ancas e joelhos.
O diagnóstico baseia-se nos sintomas, podendo ser necessário o uso de exames para excluir outros diagnósticos possíveis.
Deve ser promovido um estilo de vida saudável. O tratamento especifico da doença inclui: medicamentos sintomáticos como analgésicos, anti-inflamatórios e corticoides e medicamentos modificadores do curso da doença.




Artrite reumatoide




A artrite reumatoide é uma doença reumática inflamatória, autoimune e crónica, que se caracteriza pela inflamação das articulações e que pode conduzir à destruição do tecido articular e periarticular.
Na 'artrite reumatoide há uma desregulação do sistema imunitário. O organismo deixa de reconhecer a articulação ou os órgãos afetados como seus, reagindo contra eles (reação autoimune). Não se conhece a causa da desregulação do sistema imunitário que acontece na artrite reumatoide.

É frequente?


AR(1).jpg

Em Portugal estima-se que afete 0,8 a 1,5% da população.
É mais prevalente nas mulheres do que nos homens, surgindo normalmente entre os 30 e os 60 anos. No entanto a artrite reumatoide pode atingir pessoas de qualquer idade, inclusivamente as crianças.

Como se manifesta?


AR(2).jpg

Uma das características fundamentais da doença é a inflamação das articulações - artrite. Manifesta-se tipicamente por dor, sobretudo em repouso, inchaço (edema), calor na articulação e por vezes rubor (vermelhidão). É muito comum a rigidez articular sobretudo de manhã ou após um período de repouso, com dificuldade em iniciar os movimentos por mais de meia hora.
As articulações mais afetadas no inicio são as mãos e os pés, mas com o tempo também os ombros, cotovelos, ancas e joelhos.
O envolvimento articular na artrite reumatoide é quase sempre bilateral e simétrico, isto é, são atingidas as mesmas articulações dos dois lados do corpo. Para além dos sintomas articulares, os sintomas constitucionais (por exemplo, o cansaço, sintomas de gripe, febre, suores e perda de peso) são comuns.
A artrite reumatoide é uma doença sistémica, podendo, portanto, atingir outros órgãos, com outras manifestações associadas.
O diagnóstico é feito com base nos sintomas e na observação das articulações atingidas, complementado por achados laboratoriais e radiográficos, sobretudo nas situações mais avançadas.

Como se trata?


Medidas gerais:


Deve ser promovido um estilo de vida saudável:

  • Os doentes fumadores devem deixar de fumar, uma vez que o tabaco parece agravar o quadro;
  • Em indivíduos com excesso de peso, é aconselhado a perda de peso para prevenir o desgaste articular e o desenvolvimento de outras doenças;
  • A prática de exercício físico é fundamental e deve ser orientada pela equipa médica. Deverão ser realizados sobretudo exercícios isotónicos (são exercícios realizados com movimento, com ou sem pesos, envolvendo a contração e extensão muscular controlada contra uma carga constante, por exemplo, flexão de braços) e isométricos (exercícios onde ocorre contração muscular estática sem movimento, por exemplo, palmas das mãos contra a parede), para fortalecimento muscular e manutenção da função articular, assim como exercícios aeróbicos (são exercícios contínuos e prolongados realizados com movimentos não muito rápidos, por exemplo caminhar, correr, pedalar) para otimização do sistema cardiorrespiratório.



Tratamento farmacológico:


  • Analgésicos e anti-inflamatórios: ajudam a aliviar a dor, contudo não alteram a progressão da doença;
  • Corticosteroides: podem ser usados em combinação com outros medicamentos, para controlo dos sintomas a curto prazo e ajudar a minimizar o dano articular;
  • Medicamentos clássicos modificadores da doença (DMARD’s clássicos): o início precoce do tratamento com DMARDs é recomendado para controlar os sintomas e sinais da artrite reumatoide, bem como limitar a progressão da doença;
  • Medicamentos biológicos modificadores da doença (DMARD’s biológicos): são moléculas que modulam as proteínas da inflamação e são eficazes no tratamento da artrite reumatoide. A introdução destes medicamentos é feita em situações muito especificas.



Tem cura?


Atualmente, não existe cura para artrite reumatoide, pelo que se torna ainda mais importante o doente aderir ao tratamento prescrito, uma vez que a artrite reumatoide, bem tratada permite, na maioria dos casos, permite uma vida funcional e produtiva.

Conclusão


Embora seja uma doença crónica, o diagnóstico e tratamento precoces, adesão ao tratamento e a adoção de certas medidas não farmacológicas, são da maior importância para prevenção das suas complicações.

Referências recomendadas





Alt text Alt text Alt text Alt text Alt text



Banner.jpg